sábado, 29 de agosto de 2009

Café e mignardises

Gostamos de ser recomendados, ainda mais por um dos mais interessantes bloggers nacionais. Também gostamos de saber que não somos os únicos com falta de tempo (só não prometemos que na próxima semana iremos falar de pastéis de nata de bacalhau(!!!), kebabs de carne picada, beringela com feta e o que mais se comer. Já agora aguardamos também os scones com matcha mas de cor verde bonita.

Nesta semana em que fomos acusados de andar levar Chefes ao colo descobrimos que o Luís Antunes está quase a ser preso pelo mesmo crime.

Por ultimo, dêem-lhe o nome que quiserem mas alheiras de bacalhau, jamais!

5 comentários:

Paulina Mata disse...

Diverti-me mesmo a ler!

:)

Miguel disse...

Caros,

Em relação aos comentários do post anterior só posso pedir uma coisa: - Não percam tempo com quem o tem(tempo) em abundância. Se os chefes referidos fossem “ rookies “ criticavam-vos por não darem relevo aos consagrados. Não é sempre assim neste país? Depois há duas coisas execráveis que perpassam esse tipo de comentários: O jeito impositivo com que pretendem mostrar a “verdade” deles, e o estigma que colam às pessoas a quem os negócios possam ter corrido mal em determinada fase da vida. Só podem ser pessoas cujo maior prazer é o mal dos outros. Enfim.Continuem com o vosso extraordinário trabalho, que no caso do DC acompanho há muito tempo. Os prosélitos que não gostarem têm sempre a possibilidade de não ler. É tão simples! Cumprimentos

Anónimo disse...

não percebo o que vos move contra a alheira de bacalhau.

mais me chocou a definição legal da alheira, que pode incluir carne de porco!!! afinal, como posso explicar a génese da alheira se nos ingrediente podem estar carne e gordura de porco?!?!?

o que mais me chocou na alheira de bacalhau, nas poucas vezes que a provei, foi que o enchido que me foi servido e continha bacalhau (e ao qual poderiam ter chamado siripiti de bacalhau) SABIA A ALHEIRA! O nome era apropriado, porque aquilo era claramente uma alheira...

e agora?


porco ou bacalhau!?!?!?

Miguel Pires disse...

Nada me move contra. Gostava é que se registasse o original e, quanto muito se utilizasse aspas nas adaptações ou inspirações. É que caso contrário, Qualquer dia ninguem sabe como era o original.

A frase era sobretudo para remeter para os posts que o Virgilio Gomes escreveu em defesa do tema.

Tia Maria disse...

São boas as alheiras de bacalhau, o meu paizinho enviou-me umas quantas o mês passado.
Mas realmente, não sabiam muito a bacalhau.
Acho que prefiro as tradicionais, ou até as de caça.
Cumprimentos da terra da tulipas.